musica

sábado, 15 de abril de 2017

O diabo dorme












Lá fora o diabo dorme
Esperando que a porta se abra,
Onde estarão os anjos da guarda
Que não fazem a vigia?

Lembrei-me doutra ocasião
Era sexta, dia de loucuras
E enquanto eu me acabava
Você partia para longe...

Minha semente voou distante
De teu ventre então maduro
A noite é uma criança -- pensava
Mas logo a luz de outro dia.

Nadava entre sonhos e fantasmas
Olhava naqueles olhos
Que imploravam um  devaneio
Suaves noites, loucas e surreais

Anjos da guarda silenciam
Sempre que o diabo aparece
                                               Abr.17

sábado, 8 de abril de 2017

Após Tudo












Lenços acenam, voam
Feito pombas brancas
Laços se partem
Como sementes ao sol

Pálida é a noite
De um negro mortal
Certeira é a flecha
Para o bem e o mal

Velas, véus e lágrimas
Dão o toque final
Feito tela de arte
Em um tom surreal

Estou dormindo sob as asas da morte
Mas é algo confidencial 
                                           Abr.17

sábado, 1 de abril de 2017

Campo Minado












As ruas estão vazias
Ninguém por perto
Todos se foram

Só resta você
Como uma vaca pálida
Em um campo minado

Os girassóis morreram
O sol se aniquila
Em pura Eutanásia.
                                  Março/17